quarta-feira, dezembro 07, 2016

“À Madjer” e com mais 7 milhões no bolso




Sim, a goleada com números ímpares é mais fraca do que a com números pares, sim, foi contra um Leicester desfigurado, mas no caminho facturamos sete milhões de euros e estamos onde queremos.

Corona, simplificou tudo e está um senhor desequilibrador. Brahimi, ainda guloso, mas já mais inspirado em Madjer, “matou” o jogo. André Silva, o nosso goleador-recuperador, nunca perdoou. Diogo Jota começa a percebeu melhor a equipa, muito bem nas movimentações e Herrera quase, quase fazia as pazes com o “tribunal” do Dragão.

Os problemas e as lacunas estão a ser disfarçados mas há algo que está a mudar muito nesta equipa: estamos com uma consistência defensiva que serve de "mola" aos nossos atacantes. E isso, sempre foi a nossa força. Algo sério está a acontecer a esta equipa que, reforçada com experiência em Janeiro, ainda pode dar alguma coisa.

Fechada a fase de grupos, o sorteio agendado para a próxima segunda-feira vai comportar apenas dois condicionalismos. Não poderão defrontar-se, nos oitavos-de-final da Liga dos Campeões, equipas que mediram forças na fase de grupos nem clubes do mesmo país. Afastada fica, assim, a possibilidade de um embate entre Real Madrid e Barcelona, por exemplo, ou entre Bayern Munique e Borussia Dortmund. Espanha surge, de resto, nesta fase como o país mais representado, com quatro equipas.

No que diz respeito aos portugueses, para o Benfica, teoricamente surgirão o Leicester e o Mónaco como adversários mais convidativos, enquanto o FC Porto terá também na equipa francesa, orientada por Leonardo Jardim, e no Nápoles os rivais com grau de dificuldade aparentemente um pouco menos elevado.

Primeiros classificados (cabeças de série)
Arsenal (Inglaterra)
Nápoles (Itália)
Barcelona (Espanha)
Atlético Madrid (Espanha)
Mónaco (França)
Leicester City (Inglaterra)
Borussia Dortmund (Alemanha)
Juventus (Itália)

Segundos classificados (não cabeças de série)
Real Madrid (Espanha)
Paris Saint-Germain (França)
Benfica (Portugal)
Manchester City (Inglaterra)
Bayern Munique (Alemanha)
Bayer Leverkusen (Alemanha)
FC Porto (Portugal)
Sevilha (Espanha)

segunda-feira, dezembro 05, 2016

E se o jogo acabasse aos 94?


Nada mudou. Até a mala pata continua igual. O Marafona não é tão bom, nem tão enorme como se mostrou. Mais um azar, pois. E mesmo no nosso jogo, tudo igual. Sem qualquer baixa, NES trocou Layún por Alex Telles, mas manteve o desenho (à falta de melhor termo) habitual, bem como o nosso problema: dominamos e criamos oportunidades flagrantes, mas no momento decisivo lá vem sempre ela, a inépcia.

E isto tudo só foi diferente porque o jogo chegou ao minuto 95´e aí, Rui Pedro, assumiu o papel de herói, encostou Depoitre para sempre (ou, pelo menos, por uns bons tempo) e fez-nos acreditar que na formação mais jovem andam a trabalhar bem alguma coisa: os noves. 

Agora, um fraco Leicester e um medíocre guarda-redes adversário vinham mesmo a calhar para ver se isto se equilibra.

NB: Este Maxi não é Dragão de Ouro Eterno porquê mesmo?

domingo, novembro 27, 2016

Não há mais nada a fazer



Desde o tempo da crise dos mísseis de Cuba que ninguém utilizava tão bem o Photoshop. É claro que este tipo não é o único culpado, mas já é claro que não tem estofo para ser um "treinador à Porto". E quanto à equipa, verdade se diga que tem lutado muito e é esforçada, mas não tem o que é preciso para misturar com a sua juventude e inexperiência. Falta tudo ao nosso Porto. Se ao menos Pinto da Costa não tivesse morrido...

segunda-feira, novembro 07, 2016

O trágico minuto 66 explicado ao NES



Marcava o minuto 66 quando, depois de serpentear pelo meio de meia equipa do Benfica, Corona obriga Samaris a cometer falta e é imediatamente substituído por Rúben Neves. NES não tinha André André no banco, mas tinha Brahimi, mas não, NES não quis (ou não pôde...) utilizá-lo e como ainda não ensinou esta nossa jovem agremiação de bons jogadores a segurar a bola, a irritar o adversário, a provocar faltas e a matar os jogos, mandou recuar todos e convidou o moribundo Benfica, até ali de qualidade Salgueiros 2008, a despertar.

Depois, o mesmo técnico que este muito bem ao escolher colocar Otávio na zona central e Torres na esquerda, tira este último, talvez no seu melhor jogo, e logo a seguir o Jota, que andava a trocar os olhos a Nélson Semedo. Matou em definitivo o nosso jogo ofensivo. Três anos, cinco meses e 27 dias depois, o segundo minuto de descontos voltou a assumir o protagonismo do clássico. 

Assim, em cima, na primeira coluna da esquerda, começo por explicar ao Héctor Herrera o problema do seu lance aproveitando toda a restante superfície do quadro para tentar explicar ao NES o que está mal. Oxalá o ajude!

domingo, novembro 06, 2016

5-cinco-5 factos



Facto 1: o clássico desta tarde é dos mais jovens de sempre.

Facto 2: as ausências de Fejsa e Grimaldo são dádivas dos céus.

Facto 3: esperamos um Benfica em contra-ataque; mais do que a enfraquecida ala esquerda da defesa, o meio-campo está órfão da presença de Fejsa e já não vai ter os equilíbrios defensivos de uma equipa desenhada para o ataque continuado.

Facto 4: é hora de acabar a desarticulação entre Ótávio (só vê lado a esquerdo), Óliver (sem noção exacta nos momentos de "abrir jogo") e Herrera (sempre perdido tacticamente na nossa órfão direita).

Facto 5: a derrota não é pensável por um simples facto: ficaríamos a oito pontos e o Natal está tão longe como o mau tempo.

terça-feira, novembro 01, 2016

É hora de dizer chega a tanta comissão e asneira



Nem tudo se pode resumir a um pénalti não marcado, nem a um acordo mal redigido. Mas  quem acredita que o selecionador nacional espanhol ganha 250 mil euros ano (o que nos obriga a cobrir a diferença para os 1.1M que ganhava aqui)? E quem acredita que o nosso problema é a arbitragem?

Benfica esta, como nunca esteve, a 5 pontos de avanço à 9ª jornada. E com aquela quantidade anormal de lesões no plantel!

É hora de dizer chega a tanta comissão e asneira. Se precisarem de um exercício de banalidade, eu saco já de um quadro e faça um desenho para ver se nos entendemos sobre o que é um jogador à porto. 

sexta-feira, outubro 28, 2016

O milagre económico foi anunciado para janeiro


Como absorver um prejuízo de 58 milhões e terminar um exercício com um lucro de 2,7 milhões de euros?
Fácil, queira tomar notas:

1- Obtenha uma receita de 115 milhões de euros com a venda de jogadores (não distinga venda de "mais valias");

2- Diga que vai encaixar 30 milhões com a participação nas provas europeias e 23,6 milhões com direitos televisivos, entre outros (ou seja, garanta presença nos oitavos de final);

3- Se chegou bem até aqui, até pode aumentar os custos do seu clube: 69,5 milhões de euros em gastos com o pessoal e 38 milhões de euros em fornecimentos e serviços externos. Mas não anuncie o novo recorde: 116,5M€, os custos operacionais mais altos de sempre...

4- Perguntas sobre vendas de jogadores, diga que assume 47 milhões em custos com transações de passes de jogadores e 32,4 milhões em amortizações e perdas por imparidade com passes (não deverão haver mais perguntas);

5- Continue a pagar zero à CM Gaia, pelo seu Centro de Estágio, propondo o presidente da edilidade, Eduardo Rodrigues, sociólogo de renome, para o cargo de Administrador "não executivo", em substituição de um "executivo" (Antero Henrique).

6- Aprove rápido este orçamento, peça aos centrais para continuarem a melhorar, ao Danilo que segure pelo pescoço o nosso meio-campo, ao Herrera para que vá para longe dele, ao Olivier que imite mais um 10 do que um 8, ao Jota que continue a permite que o André Silva corra de frente para a baliza e os continue a meter "lá dentro".

7- Reze todos os dias.

Clique para aumentar

A vantagem de ser político é o tempo livre...

Clique para aumentar | OJOGO, 28.10

segunda-feira, outubro 24, 2016

Foi um grande fim de semana, mau grado a falta de síntese do NES



Foi um grande fim de semana (Basquete: Lusitânia 68 - 92 FCP; Hóquei : FCP 9 - 2 HCT;Andebol : FCP 29 - 28 Sporting e Futebol FCP 3 - 0 Arouca) e um importante ensaio para os próximos jogos contra o Brugge e Benfica

A circulação da bola já se faz tendo em conta a baliza adversária e só podemos estar a gostar muito da dupla André/Jota, com este último a permite melhor verticalidade e dinâmica na ataque e a permitir libertar o primeiro para concluir na área. Podia também falar aqui do Brahimi, mas não quero. Baixou-lhe os braços, o pio, o nosso jovem goleador que, esse sim, é um jogador à porto e se for embora em janeiro ficarei com muito triste.

E por falar de jogadores à Porto, foi pena o NES não ter abreviado o Picasso que apresentou. As três pernas estavam feitas, mas depois enrolou muito, como é seu costume, e desviou-se do mais importante: os tomates. Foi isso que sempre nos definiu, tê-los no sítio enquanto os outros ainda andavam à procura deles e não o desenho na óptica do utilizador. Deram um marcador ao Nuno, mas não a capacidade de síntese que aqui se apresenta, finalmente, pedindo que aceitem as nossas desculpas.

sexta-feira, outubro 21, 2016

Amanhã, às 18h00, há um clássico



Depois de termos arrancado a ferros uma vitória frente ao ABC (24-22), em Braga, amanhã, às 18h00, teremos outro clássico, desta feita frente ao Sporting, com quem partilhamos a liderança. O Sporting contratou uma série de jogadores experientes e veremos se há benefícios do facto da nossa equipa jogar, agora, à quarta e ao sábado.

Que tenha o pontapé canhão do avô



O futebol corre nas veias da família Sousa. António Sousa, o nosso campeão europeu, abriu caminho para mais duas gerações de futebolistas, Ricardo Sousa e agora é a vez de Afonso Sousa que, com apenas 16 anos, assinou esta quinta-feira o primeiro contrato profissional com o nosso clube.

Chaves, para a Taça de Portugal




Benfica-Marítimo, Sporting-Praiense e Desportivo de Chaves-FC Porto, por esta ordem, já sem quaisquer restrições regulamentares, ditou o sorteio desta sexta-feira, para a quarta eliminatória da Taça de Portugal, agendada para 20 de Novembro.

Jogos:

Benfica Castelo Branco (CP) - V. Setúbal (I)
Benfica (I) - Marítimo (I)
Real Massamá (CP) - Olhanense (II)
Oriental (CP) - Leixões (II)
Sporting (I) - Praiense (CP)
Vilafranquense (CP) - Paços de Ferreira (I)
Estoril (I) - Cova da Piedade (II)
Aljustrelense (CP) - Tondela (I)
Varzim (II) - Sp. Covilhã (II)
Boavista (I) - V. Guimarães (I)
Sp. Braga (I) - Santa Clara (II)
Torreense (CP) - Nacional (I)
Feirense (I) - Académica (II)
Desp. Chaves (I) - FC Porto (I)
Vizela (II) - Penafiel (II)
Sanjoanense (CP) - Gil Vicente (II)

quarta-feira, outubro 19, 2016

Nada mau para o primeiro jogo pós-divórcio



O jogo era “decisivo”, “sem margem de erro” e tal, mas durante mais de uma hora, perante um debilitado Brugge, não nos coube um feijão no cú. Este Porto é mesmo uma equipa bipolar capaz do melhor e do pior em menos de um ápice de luz. Incrível o que sofremos num grupo de viagens low cost, enfim...

O Preud’homme (que saiu muito chateado mas que já devia de estar habituado a perder contra o Porto) juntou bem os cacos de um plantel e com uma formação em 5x4x1 quase nos baralhava. As entrada de Brahimi e Corona (mais deste) revolucionaram o jogo ao abrir a equipa do Brugge, mas pareceram-me muito tardias, cuidado com isso, Nuninho...

Seja como for, lá chegámos aos 4 pontos do Copenhava e aos 17 milhões e tal com um grande golo do Layun que, na minha opinião, só por isso era quem devia ter ganho o Nobel da Literatura, e com um pénalti como deve ser, convertido pelo nosso André-60-milhões-Silva.

Nada mau para o primeiro jogo pós-divórcio. Devemos ter em mente que a equipa percebeu que em breve vamos ter de ler todos um livro, ver um filme e assistir de bancada a um processo judicial. Mas o nosso presidente "aventureiro" está livre, bem disposto e disponível e isso é o que mais importa. Kisses!

terça-feira, outubro 18, 2016

Eles sem meia equipa, nós de volta com o presidente "aventureiro"



Com cinco pontos de atraso para o Leicester e três para o Copenhaga, equipas que à mesma hora estarão frente a frente em Inglaterra, já estamos na Bélgica prontos a jogar com... a máquina de calcular na mão. Sem os três pontos o cenário de “despromoção” para a Liga Europa é o mais realista, mas não só estamos na máxima força, como o nosso presidente mostra-se também em grande forma.

Depois de ter rescindido com Antero Henrique, percebeu que a Fernandinha nunca deu sorte e já a despachou. O teste terá sido no anterior jogo na Madeira onde a Fernandinha não foi e nós ganhámos tranquilamente. Hoje, imagino uma goleada e não é só pela ausência da Fernandinha que tanto azar nos deu, mas porque o campeão belga depara-se com inúmeros problemas e terá que nos defrontar sem uma mão cheia de habituais titulares. Num modesto sétimo lugar no campeonato belga (quatro derrotas em dez jornadas) e ainda sem qualquer ponto somado na Liga dos Campeões (zero golos marcados e sete sofridos), o Club Brugge está enfraquecido, muito longe daquele que dominou a Jupiler Pro League na época passada — campeão com sete pontos de vantagem sobre o Anderlecht — apesar de manter praticamente intacta a equipa-tipo de 2015-16 ( apenas o defesa direito Thomas Meunier foi vendido ao PSG por sete milhões de euros).

Para além de ter perdido Meunier, Preud’homme não poderá contar com os defesas centrais Björn Engels e Brandon Michele e com o lateral esquerdo Laurens De Bock. No ataque, Diaby e Vormer, estão ambos em dúvida, mas a ausência certa do israelita Lior Refaelov e do colombiano José Izquierdo, os dois rápidos e talentosos extremos, deverá dar (tem de) uma noite tranquila ao Casillas. Menos de 5 ou 6 é derrota. Abram alas!

segunda-feira, outubro 17, 2016

Um Porto de afectos, não obrigado!




Após um empate (Copenhaga) e uma derrota (Leicester), amanhã tudo se decidirá em Brugge. E ninguém tem dúvidas. O NES já admitiu que "não há margem de erro” e que os jogadores portistas estão “conscientes daquilo que deverão fazer”.

Sorte é também o que não nos falta e não pode, sobre isso, haver também qualquer dúvida. São muitas as baixas por lesão na equipa adversária, treinada por Michel Preud'homme - no último jogo foram "só" sete - e a crise de resultados de 4 derrotas em 10 jogos abala a confiança da clube que já se vê a seis pontos de distancia do líder. Em números, o Brugge encaixou em casa 3, do Leicester, e levou 4 em Copenhaga. Tudo sem resposta. Por isso, não vos quero meigos, meus meninos.

domingo, outubro 16, 2016

Líderes, como tem de ser sempre



Esmagamos o Valença por 6-0, em jogo antecipado da 5ª jornada do Campeonato Nacional de Hóquei em Patins e estamos isolados na liderança com nove pontos, mais três do que Benfica, Sporting e Candelária, todos com menos um encontro disputado. A terceira jornada está marcada para dia 22, com Porto, Benfica e Sporting a recebem respetivamente Turquel, Óquei de Barcelos e Candelária.

sábado, outubro 15, 2016

2 segundos e 2 lances livres...falhados



Desilusão na 2.ª ronda da Liga de basquetebol. Perdemos incrivelmente em casa por 74-76 frente ao Benfica depois de, recentemente, os termos batido tão bem na Supertaça. O Benfica defendeu muito melhor, teve um Damian Hollis em dia sim (27 pontos) e uma sorte descomunal: Brad Tinsley, o nosso melhor, a dois segundos do fim, na linha de lance livre, com 74-75 no marcador, falhou as duas tentativas.

quarta-feira, outubro 12, 2016

Senhores e senhoras, eis o nosso passivo, 349,2 milhões!



Contas de 2015/16 apresentadas e temos mais um recorde batido. 58,4 milhões batem largamente os 40,7 milhões registados em 2013/14 (espantoso quando se previa um lucro de 1,7 milhões). Pior só mesmo a justificação para este descalabro: "foi tudo para não desfalcar o plantel". (Parem de rir!)

O nosso muito grande amigo Fernando Gomes, agora promovido a Diretor Financeiro, diz que foram rejeitados 95M€ por André Silva, Danilo e Herrera. Ora, uma vez que a 30 de junho André Silva tinha uma cláusula de rescisão de 25M€, Danilo uma cláusula de 40M€ e Herrera 30M€ é provável que tenham andado a oferecer ao Porto valores superiores às clausulas. (Parem de rir!)

Para se perceber melhor o descalabro, olhemos para os custos operacionais. Aumentaram de 110 para 124 milhões de euros. Nesta rubrica, os maiores aumentos foram relativos a "fornecimentos e serviços externos" (mas 5 milhões) e custos com o pessoal, que passaram de 70 para 75,7 milhões de euros.  Este é o valor que o Porto gastou na época passada para pagar salários, prémios e indemnizações. A este propósito, a SAD assume que o "pagamento de indemnizações às equipas técnicas lideradas por Julen Lopetegui e José Peseiro" tiveram peso nas contas. Já sabemos que, juntamente com Helton, os pagamentos foram de 4,4 milhões...(Parem de chorar!)

O número do prejuízo desafia o fair-play financeiro da UEFA. Não podíamos apresentar mais de 8,6 milhões de euros de prejuízo e falhámos por pouco, por cerca de 50 milhões de euros. Agora é proposto mudar o paradigma, começar uma limpeza financeira, claro. (Parem de chorar e apertem os vossos cintos!)

terça-feira, outubro 11, 2016

janeiro vai ser um mês muito frio...


Esperámos tantos anos por um ponta-de-lança feito em casa e ai está ele, pronto a ser vendido.
É quase injusto e assustador pensar que em Janeiro vamos ter mesmo de resgatar o Marega...

Sim, jogaste à base de medicamentos, muitas vezes...



Há aqui três clarividências do Maicon que são importantes, mas eu sublinhava a última, pois recordo-me de algumas exibições em que era impossível o jogador passar no teste das "drogas"...